Suplentes: Vaga do partido ou da coligação. Quem decide?

Publicado: 09/02/2011 em cidadania, política
Tags:, ,

Enquanto a Câmara dos Deputados quer definir sobre quem deve assumir a vaga de suplente, muitos deputados federais e estaduais, por meio de liminares, assumiram os mandatos, independentemente da Lei Ficha Limpa. Tudo isso custa muito dinheiro público e gera insegurança jurídica, além da angustia daqueles que se elegeram e não levaram.

Tenho conversado com alguns colegas que também foram candidatos, foram até diplomados, mas até agora nada definido, fica a angustia e a incerteza. Que tipo de exemplo fica para o cidadão que exerceu seu sagrado direito de escolher o seu representante?

Quem saiu de casa no dia 3 de outubro, pelo menos a maioria, tinha uma certeza que é votar no seu candidato independente de partido. Portanto, acabada a eleição, acaba a coligação, ou não?

Espera-se que com a posse do novo ministro Luiz Fux, no Supremo, muitas coisas sejam definidas favoráveis aos cidadãos.

As coligações acabam com o fim da eleição? Então o mandato é do partido. Uma pessoa pode se candidatar sem coligação, porém jamais sem ser filiado a um partido.

O que você acha?

Se preferir comente. O espaço é democrático.

Anúncios
comentários
  1. Tatiana Sartori Bertelli disse:

    Bem,respondendo esta pergunta; Portanto, acabada a eleição, acaba a coligação, ou não? creio que acaba sim, passando a eleição todos ficam brigando, a exemplo do que está acontecendo no nosso estado, o PT nao estava todo certinho para assumir cargos? ja li esta semana que o Gov nao quer mais o PT no governo,e isso com certeza acontece no país inteiro!!
    Eu mesma,quando vou votar,olho muito pelo partido do candidato,as suas propostas,a história do partido.Ex: eu nao gosto do PT,nunca gostei,mas meu voto foi de Confucio Moura no segundo turno,se nao olhasse pelas propostas e a campanha em si,e olhasse pela coligação,nao votaria!
    Então,quando termina as eleições, as coligações chegam ao fim.assim penso eu rs!!
    Obrigada Celso por este espaço pra falar sobre nossa opinião!!
    um abraço!
    Ah,e sem esquecer!!FICHA LIMPA SEMPREE!! independente de coligação,viu gente?!!?

  2. Caro Celso, sou um defensor da idéia do partido político, de fazer parte de um grupo que tenha a mesma ideologia e objetivos comuns. Se defendo a fidelidade partidária, por coerência, devo ser favorável que o deputado eleito seja substituido pelo suplente do mesmo partido.
    Um grande abraço,
    José Carlos Sá (@banzeiros)

  3. Dalmo disse:

    A lei tem que valer para todos, mas não é assim no Brasil, isso precisa mudar o STF foi correto ao interpretar a constituição e a legislação vigente. Decidiu que a vaga é do partido foi assertivo e justo, a lei diz que “todo poder emana do povo” e a coligação termina após o pleito ou seja após o cálculo quociente eleitoral que define a quantidade de vagas de cada partido, o sistema é proporcional, não existe nenhuma lei que define em caso de licença o partido perde o direito a vaga, respeitando a proporcionalidade a vaga em nenhum momento pode pertencer a coligação que não mais existe.

  4. Dalmo pereira de Holanda disse:

    estou de perno acordo sim a vaga nao pertencer ao partido nao deveria te partido

Obrigado pelo seu acesso e comentário! Divulgue aos seus amigos. Nosso Twitter @_celsogomes_

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s